Como funciona a dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea

E assim chamada por seguir os hábitos alimentares dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo, como:

-Egito;

-Espanha;

-Grécia;

-Itália;

-Líbano;

-Líbia

-Marrocos;

-Turquia.

Em comum, esses países têm o clima, o tipo de solo, fatores que influenciaram o desenvolvimento da agricultura, moldando a forma de vida dessas populações.

Como funciona a dieta mediterrânea
Como funciona a dieta mediterrânea

Alimentos benéficos

            De acordo com a dieta mediterrânea, alguns alimentos devem estar sempre presentes na nossa alimentação.

A cada grupo de alimentos, os mais comuns na dieta mediterrânea são:

Carboidratos

No grupo dos carboidratos, a dieta mediterrânea preconiza o consumo de cereais. Os cereais são as mais indicadas fontes de carboidrato que o ser humano pode consumir. É do carboidrato que vem a energia responsável pelo funcionamento do nosso organismo e sem ele, o corpo não consegue absorver outros nutrientes.

Entretanto, a quantidade e a qualidade dos carboidratos mais ingeridos pelas pessoas está equivocada, provocando doenças e obesidade, que já é um problema de ordem mundial.

Em vez de consumir produtos com um alto grau de industrialização, a dieta mediterrânea recomenda os integrais. Produtos integrais têm mais nutrientes e possuem fibras; isso faz com que a glicose chegue aos poucos e mais lentamente à corrente sanguínea, o que evita níveis extremos de açúcar no sangue.

Vinho tinto

            Toda bebida alcoólica é fonte de carboidrato. Na dieta mediterrânea, recomenda-se o consumo moderado de vinho tinto, que auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares.

É importante salientar que a quantidade de vinho não deve ultrapassar uma taça por dia; mais do que isso pode causar mais danos à saúde do que benefícios.

 

Como funciona a dieta mediterrânea
Como funciona a dieta mediterrânea

Gorduras

Apesar de associada à ideia de obesidade, a gordura deve, sim, fazer parte de uma alimentação saudável. Sem a ingestão de gordura, o corpo humano não é capaz de absorver as vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e de produzir, por exemplo, os hormônios. É também papel da gordura proveniente da alimentação facilitar o funcionamento do intestino, ao lubrificar suas paredes.

Mas o que se recomenda não é o exagero que se vê dentre a maior parte das pessoas. As gorduras benéficas e recomendadas pela dieta mediterrânea são:

-o azeite de oliva;

-as oleaginosas.

-azeitonas;

-nozes;

-amêndoas.

Sob a dieta mediterrânea, devem ser evitados os alimentos ricos em gordura animal, como a carne vermelha.

Proteínas

Enquanto o consumo mundial de carboidratos costuma ser maior do que o necessário, o consumo de proteínas deixa a desejar. O corpo humano precisa de uma quantidade muito maior de proteína do que normalmente as pessoas acreditam.

Na dieta mediterrânea, as principais fontes de proteínas são:

Leite e seus derivados

O leite e seus derivados são fontes de proteínas de origem animal, cálcio e gordura (numa quantidade saudável).

Leguminosas

Das leguminosas vêm as proteínas de origem vegetal e as fibras, que auxiliam no combate e na prevenção do mau colesterol.

Peixes

Na dieta mediterrânea, não se consome a carne vermelha; é o peixe a principal fonte de proteínas. O peixe fornece muitos dos nutrientes importantes para a manutenção da saúde e não têm o excesso de gordura encontrado nas carnes vermelhas.

Fibras

Uma das características marcantes da dieta mediterrânea é o alto consumo de fibras. Todos os outros alimentos fornecem muitos nutrientes ao corpo e muito pouco deles chega ao intestino; para que o bolo fecal adquira volume suficiente para que o organismo acione o funcionamento adequado do intestino, é necessária a ingestão de uma grande quantidade de fibras.

As fibras também auxiliam na redução do colesterol ruim.

Na dieta mediterrânea, recomenda-se alto consumo de frutas e hortaliças.